quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

50 anos de personagens e actores portugueses em novelas brasileiras (1965-2015) (III)

"Gente Fina" (Globo, 1990)

Na década de 1990, todas as emissoras produziam dramaturgia na guerra pelas audiências. Nesse momento também os actores de origem portuguesa aparecem com mais frequência, mas as primeiras novelas dos anos 90 ainda mostram brasileiros no papel de lusitanos.

"Gente Fina" foi uma dessas novelas,  apresentando Paulo Goulart como Joaquim e Laerte Morrone como Agenor, sócios de Guilherme (o protagonista da novela interpretado por Hugo Carvana) numa oficina de mecânica.

Joaquim era pai de dois filhos, com os nomes de Gil Vicente e Pêro Vaz.

À esquerda Laerte Morrone

"Rainha da Sucata" (Globo, 1990)


Em "Rainha da Sucata", Lima Duarte e Nicette Bruno interpretavam o casal Onofre e Neiva Pereira, pais da protagonista da novela, Maria do Carmo (Regina Duarte). Ele, que teve participação especial no início da história, era negociante de ferro-velho, simpático e esperto. Ela, dona de casa, abria um restaurante depois da morte do marido.

"O Dono do Mundo" (Globo, 1991)

Em "O Dono do Mundo" Antonio Calloni é William, filho de um milionário que mora ao mesmo tempo no Brasil e em Portugal.

A novela contava a história de um cirurgião plástico, casado, que sente atração por outra mulher e, no casamento dela aposta com os amigos que passará a noite de núpcias com a noiva, em vez do marido. O noivo se suicida e a mulher passa a perseguir o médico.

"Pedra sobre Pedra" (Globo, 1992)


Em 1992, começam a aparecer, ainda de forma tímida, alguns actores portugueses, como os escalados para "Pedra sobre Pedra", de Aguinaldo Silva, Ana Maria Moretzsohn e Ricardo Linhares. A trama se passa em Resplendor, no sertão da Bahia, e era repleta de casos de amor e família rivais.

Um núcleo da novela refere-se aos ciganos que chegam à cidade e instalam-se nas terras de Cândido Alegria, que havia usurpado a propriedade das terras ao português Benvindo (interpretado pelo actor brasileiro Buza Ferraz).


Com a morte do português, seus sobrinhos-netos Inês e Ernesto Soares de Melo (interpretados pelos actores portugueses Suzana Borges e Carlos Daniel) viajam ao Brasil para reclamar as terras que, segundo eles, foram deixadas como herança.

A actriz brasileira Nivea Maria interpretou Ximena Vilares, primeira-dama de resplendor, que faz uso do sotaque português. Foi a primeira novela Globo a ser financiada pela RTP, que (antecipando a inauguração da SIC) participou com 20% da produção, e teve cenas gravadas em Lisboa.

 "As Pupilas do Senhor Reitor" (SBT, 1994)


Remake da novela que Lauro César Muniz escreveu para a TV Record entre 1970 e 1971, com base no livro homónimo de Júlio Diniz, contudo sem o sucesso da novela da Record.

O destaque ficou por conta das três beatas fofoqueiras interpretadas por Ana Lúcia Torre, Cláudia Mello e Míriam Mehler.

"A Idade da Loba" (Bandeirantes, 1995)


Co-produção entre a TV Plus e a RTP. Pela primeira vez uma novela brasileira foi exibida em Portugal antes de se estrear no Brasil.

A actriz portuguesa Helena Laureano teve uma participação especial, interpretando a fotógrafa Tereza, que viaja ao Brasil em trabalho e se envolve com Arruda (Taumaturgo Ferreira).

"O Campeão" (Bandeirantes, 1996)

Anabela Teixeira participou como Filomena e Margarida Carpinteiro como Generosa. A novela teve como tema central o desejo de reencontro de pessoas que se tinham separado.

"Perdidos de Amor" (Bandeirantes, 1996)


"Perdidos de Amor" traz no seu elenco dois actores portugueses, Diogo Infante, como Fernando, e Cristina Carvalhal, como Ceuzinha. Ele interpretou um cafajeste e ela, uma mulher conservadora.

"Meu Pé de Laranja Lima" (Bandeirantes, 1996)


O actor brasileiro Gianfrancesco Guarnieri é quem interpreta o português Manuel Valadares na terceira versão de "Meu Pé de Laranja Lima", novamente na Bandeirantes.

"Salsa e Merengue"  (Globo, 1996)


Após uma ausência de vários anos de actores e personagens portugueses nas novelas da Globo, Paulo Pires (como Vasco) e Marques D'Arede (como Rodolfo, pai de Vasco) tem uma participação especial em "Salsa e Merengue", transmitida em Portugal pela SIC (que é participada pela Globo, com quem celebra um acordo de exclusividade) e não pela RTP.

Vasco e Rodolfo vão ao Brasil para amparar Bárbara (Rosamaria Murtinho) após a morte do marido Guilherme (Walmor Chagas). Vasco associa-se a uma vilã (Cristina Oliveira) e juntos passam a fazer roubos e dificultar a vida de muitos personagens.

"Xica da Silva" (Manchete, 1996)


Em 1996, "Xica da Silva", da Manchete (transmitida em Portugal pela TVI), também teve no elenco vários actores portugueses. A novela se passa em 1751 e narra a história de Xica da Silva (Taís Araújo), escrava, que desperta a paixão de um comprador de diamantes que tenta transformá-la em fidalga.

Fazem parte do elenco Antônio Torres, Lídia Franco, Anabela Teixeira e Rosa Castro André, que constituem a família Pereira. Gonçalo Diniz também tem um pequeno papel como o capitão Macário (que curiosamente é o nome do pai do actor português).

Gonçalo Diniz a esquerda na foto
O último episódio teve cenas filmadas em Lisboa, onde João Fernandes casa com Violante (abandonando-a logo de seguida) para salvar Xica. O actor português Camacho Costa é o padre que celebra o casamento.

"Anjo Mau" (Globo, 1997)


Na segunda versão de "Anjo Mau", da autoria da argumentista portuguesa Maria Adelaide do Amaral, o brasileiro Sérgio Viotti interpretou o personagem Américo Abreu, imigrante português dono de uma mercearia de alto nível em São Paulo.

Seguro com o dinheiro, deplora as futilidades da filha Marilu (Mila Moreira) e não confia no genro, Ciro (Raul Gazola), por ele ser um jogador. É muito apegado à neta, Lígia (Lavínia Vlasak). Tem enorme bom senso e visão para os negócios.

Casa-se com Goreti (Lília Cabral) e vão a Portugal, onde diversas cenas foram gravadas.

"Força de um desejo" (Globo, 1998)


No ano seguinte, a emissora apresentou Força de um desejo, ambientada na segunda metade do século XIX que trata de questões como a Abolição dos Escravos e a Guerra do Paraguai.

José de Abreu fez uma participação especial no papel de Pereira, um português comerciante interesseiro e trambiqueiro que vive no Brasil mas tem muita vontade de voltar a Portugal.

"Tiro e Queda" (Record, 1999)


Em 1999, a novela da Record, "Tiro e Queda", teve o brasileiro Giuseppe Oristânio como intérprete do português José Manuel Cordeiro, o Neco, e Georgia Gomide como sua sogra, Dona Conceição.

A história do autor Luís Carlos Fusco começava com um banquete promovido por um milionário, Raul Amarante, na sua mansão. Dez pessoas estavam presentes: Amarante, a esposa, sete convidados e Neco, o garçom português.

Diagnosticado com uma doença incurável, o milionário decidiu anunciar seu testamento no qual todos os presentes têm interesse, menos o garçom. Depois disso, vários assassinatos foram cometidos. Neco era dono de uma padaria, onde os personagens do núcleo de classe média se encontravam.

Fontes principais: “De Antônio Maria a Balacobaco: panorama da presença portuguesa na telenovela brasileira” de Elaine Javorski (Encontro Nacional da História de Mídia) / "A influência das relações comerciais e culturais entre Brasil e Portugal na inserção de personagens portugueses nas telenovelas" de Elaine Javorski e Isabel Ferin Cunha (Universidade de Coimbra)

Outras Fontes: Ualmédia / Mundo das novelas / Astros em revista / Bandeirantes start / Teledramaturgia / wikipedia / Mundo das novelas / Todo dia um texto novo  / Imgrum / Novelas e mundo / Memória Globo / Movenotícias / Gshow

Sem comentários: